CIC Antônio Prado - RS
(54) 3293.1609
ÁREA RESTRITA

ADMINISTRAÇÕES ANTERIORES

Vice-Presidentes:
Itamar João Cavazola (Indústria)
Édrio Sgarioni (Comércio)
Marcelo Carniel (Serviços)
Rodrigo Ravanello (Agropecuária)
Ao encerrar meu mandato como Presidente da CIC, trago comigo ainda mais a certeza, de que para sermos fortes, temos que ser unidos. É a associação que agrega, que soma e que nos torna competitivos e que faz com que sejamos capazes de construir os melhores cenários para empreender e prosperar com sucesso.
Esses são elos fundamentalmente necessários para o fortalecimento pessoal, empresarial e de nossas comunidades para a superação das adversidades econômica, políticas e governamentais, que além de não ajudar tanto, vem nos decepcionando nos últimos tempos.
Quanto mais forte e representativo for o movimento empresarial, maior será o sucesso de nossas conquistas e negócios. Parabéns Antônio Prado por ter a CIC para nos unir e fortalecer!
Quero aproveitar este momento, também para agradecer. Agradeço aos nossos parceiros e aos nossos associados, pela confiança depositada em nossa gestão, trabalhamos e nos reunimos mais de 100 vezes nesses 2 anos, com o objetivo de discutir e atender as necessidades de nossos associados e comunidade, propósito maior da existência da nossa entidade.
Agradeço ao Presidente da FenaMassa Gustavo Giulian, aos membros dos comitês e diretoria da CIC pelos esforços de organizar a realização do 5º Festival Nacional da Massa, e que de maneira responsável tomamos a difícil, porém acertada decisão, de tornar a FenaMassa bianual, necessária para sua viabilidade econômica e consolidação como maior evento de Antônio Prado.
Aos Presidentes Cândido Giulian, Luiz Carlos Boeno e Gelson Ghinzelli, pelos esforços realizados na manutenção do Centro de Eventos e na gestão do CEDAP, de responsabilidade da CIC, CDL e Associação dos Motoristas.
Agradeço aos Vice-presidentes: Itamar, Marcelo, Édrio e Rodrigo, pela dedicação e empenho ao longo destes 2 e 4 anos. A nossa parceria de trabalho e sintonia, foi fundamental para que pudéssemos fazer um bom trabalho e enfrentássemos os desafios que surgiram diante de nós. Mesmo com o imprevisto de meu afastamento das atividades da CIC para cuidar de minha saúde, seguiram em frente e conduziram as atividades com determinação e objetividade, muito obrigado Itamar, Marcelo, Édrio e Rodrigo.
Agradeço a minha esposa Fabiana, que além de me amparar nesse momento de dificuldade particular, deu total apoio nos trabalhos que me envolveram com a CIC nesses 4 anos. Obrigado pelo carinho e compreensão.
Obrigado aos meus filhos Felipe e Daniela, aos amigos e colegas de trabalho do Hospital São José, vocês todos foram grandes incentivadores.
Parabenizo os novos membros do conselho executivo: Adriano, Eduardo e André, e para os que continuam essa caminhada, Itamar e Édrio, desejo muito sucesso, que possam ter uma gestão de muito trabalho e dedicação para levar nossa entidade cada vez mais longe, nossas empresas mais fortes e nossa comunidade mais unida.
Obrigado a toda equipe funcionários da CIC que cuidam do dia-a-dia da entidade, e que são responsáveis em dar o melhor encaminhamento as necessidade dos associados. Mantenham esse empenho e dedicação!
Desejo a todos muito sucesso, realizações, crescimento e bons negócios.
Diógenes Krohn Weber
Presidente Gestão 15/16
Vice-Presidentes:
Gustavo Samuel Giulian (Indústria)
Marcelo Carniel (Comércio)
Diógenes Krohn Weber (Serviços)
Rodrigo Ravanello (Agropecuária)
“O que justifica uma vida não são as nossas boas intenções, nossas ideias jogadas ao vento, os nossos quases: Vida é coisa realizada. O que se faz o que se sentiu.” Martha Medeiros. O que a CIC almeja:" Ações de representatividade da classe empresarial de Antônio Prado, bem como comercialização de soluções que visem melhorar a competitividade da região.'' Nossos Associados parte importante da CIC, é por eles que idealizamos, trabalhamos e realizamos todas as atividades e ações. O associado é a razão da existência da entidade. Nossos colaboradores são pessoas que recebem bem o nosso associado, procuram manter uma informação eficiente e atualizada da CIC, são competentes na execução de suas atividades e se mantêm sempre atualizados em suas funções. São colaboradores especiais. O planejamento foi desenvolvido como forma de estabelecer os rumos e orientar as ações futuras da organização.

A CIC tem uma luz de 5 anos, quer dizer que mudanças de diretorias executivas tem um norte a ser seguido e que toda e qualquer decisão está orientada em beneficio do nosso associado. Como forma de melhorar os métodos de gestão previstos no planejamento estratégico, a entidade implantou seu sistema de gestão da qualidade baseado na norma ISO 9001.

O sistema CIC se qualidade e baseado nas necessidades de seus associados, com processos de execução bem definidos para satisfazer nossos empreendedores e manter relações institucionais na região. Nosso congresso é um evento idealizado para os associados CIC e tem como objetivo oportunizar o aprendizado, crescimento e inovação no mundo dos negócios.

CIC AP vs CICS Serra

A nossa entidade é filiada a Associação das Entidades Representativas da Classe Empresarial da Serra Gaucha -CIC Serra- formada por 12 (doze) entidades empresariais da região, que encaminham aspirações de todos os segmentos da classe empresarial da serra gaúcha. As reuniões acontecem mensalmente para debater, analisar e participar do desenvolvimento da infraestrutura da nossa região. FenaMassa é um evento promovido pela entidade, que tem por objetivo fomentar o desenvolvimento do segmento alimentício de nosso município, criando novos empreendimentos e qualificando o segmento. Este processo visa o fortalecimento do setor de alimentos, massas, agroindústrias vinho e sucos. Também integra o desenvolvimento do turismo cultural da nossa cidade, promovendo o patrimônio histórico. A entidade busca fomentar uma visão empreendedora no município. Para isso, fez parceria com Prefeitura Municipal e CDL para trazer um ponto de atendimento SEBRAE/RS em Antônio Prado, tendo como intuito disponibilizar instrumentos para os empreendedores locais e contribuir para fortalecer a gestão das micro e pequenas empresas. Viver em ambientes e locais junto a pessoas inovadoras e de sucesso estimulam o empreendedorismo.

A diretoria executiva 2013/2014 teve a preocupação em defender um trabalho de integração e de união junto as demais entidades, escolas e poderes constituídos no nosso município. Resta neste momento um agradecimento especial ao Diógenes, Gustavo, Rodrigo e Marcelo que sempre estiveram prontos para o trabalho e em busca dos objetivos da CIC, da mesma forma quero desejar a nova diretoria 2015/2016 sucesso nasua gestão, para que, nossa entidade atenda cada dia mais.
Roberto José Dalle Molle
Presidente Gestão 13/14
Vice-Presidentes:


Adair José Stocco (Indústria)
Maria Teresa Zanella Fortuna (Comércio)
Justina Inês Verdi (Serviços)
Roberto José Dalle Molle (Agropecuária)
Após um período de dois anos como Vice-Presidente de Serviços, assumi a Presidência do Conselho Executivo da CIC-AP, na gestão 2011/2012, juntamente com a equipe integrada pelo Vice-Presidente da Indústria – Adair José Stocco, pela Vice-Presidente do Comércio – Maria Teresa Zanella Fortuna, pela Vice-Presidente de Serviços – Justina Inês Verdi, e pelo Vice-Presidente da Agropecuária – Roberto José Dalle Molle. Fizemos uma reforma estatutária, onde foi incluído o setor de Agropecuária. Também procedemos na adoção da nomenclatura CIC – Câmara –, como a grande maioria das entidades de nossa classe. Foi criado o Conselho Fiscal e adotado o Conselho Consultivo, com a efetiva participação dos ex-presidentes do Conselho Executivo. Passamos a realizar uma assembleia anual para publicação do balanço do exercício legal.Oportunizamos um destacado espaço para a participação efetiva da juventude pradense, através da estruturação do Departamento da CIC-Jovem, onde essa significativa expressão do futuro empresarial pôde expressar todo seu potencial, a fim de contribuir para a sua valorização e permanência em nosso município. Foi efetuado um curso de empreendedorismo para a implantação de incubadoras empresariais. Criamos o Programa AVANTI2030, a ferramenta que impulsiona o rumo empresarial de Antônio Prado para os próximos 20 anos. Fizemos cinco seminários para a discussão sobre a vocação desenvolvimentista de Antônio Prado. Adotamos o Planejamento Estratégico, com o estabelecimento de metas concretas a serem executadas nos próximos anos, independente de quem esteja à frente dos nossos Conselhos de Representantes.Estruturamos e colocamos em prática, com absoluto sucesso, a Primeira FenaMassa – Feira Nacional da Massa -, evento que oportuniza o incentivo ao setor alimentício das massas, enaltecendo a autenticidade da verdadeira gastronomia com origem italiana. Além de contribuir para alavancar todos os demais setores de nossa economia, uma vez que o turismo atua como o carro-chefe de toda essa engrenagem.Deixamos um projeto arquitetônico para ser colocado em prática, a longo prazo, no CETEMP (Centro de Treinamento Empresarial), área própria, cercada e no perímetro urbano, com a sugestão de ser uma futura Escola das Massas. Ajudamos a consolidar uma nova entidade municipal – o CEDAP (Centro das Entidades de Antônio Prado) –, numa sólida parceria com a CDL e Associação dos Motoristas, com o aval da Prefeitura Municipal, para administrar o Centro Municipal de Eventos, simbolizando a unidade das entidades em benefício de todo o município. Enfatizamos ainda, que a nossa CIC manteve um destacado papel de vanguarda no associativismo regional e estadual, ao integrar plenamente as atividades da CICSerra. Juntamente com 11 entidades de municípios da nossa região, participamos de campanhas de reivindicação federal, estadual e regional, para a melhoria da infraestrutura e logística de nossas estradas. Além de participar das ações da Federasul, que representa as CICs gaúchas. Podemos colocar em prática, de maneira concreta, objetiva e transparente, o nosso processo sucessório. Sem traumas, sem necessidade de quaisquer confrontos, ou embates de chapas, apenas consenso em torno da necessidade de levar adiante uma entidade próspera, respeitável, madura, sólida e de forte representação no cenário municipal, regional e estadual. Dando continuidade às bases sólidas fincadas por aqueles que nos antecederam. Com o poder público municipal, - tanto o Executivo como o Legislativo - estabelecemos uma excelente parceria em prol das ações que beneficiaram o interesse público e a melhoria do município. Com o Poder Judiciário, também estabelecemos uma especial parceria em campanhas e ações que dizem respeito ao bem-estar social e preventivo de nossa comunidade. Como a Campanha contra o Crack, nas escolas.Assim, fica a certeza de que todas as propostas lançadas tiveram o firme objetivo de proporcionar o melhor a todos os nossos associados, em todos os setores de nossa representação: Indústria, Comércio, Serviços e Agropecuária.Sempre contamos com a efetiva parceria do nosso quadro funcional, dos associados, de uma maneira geral, das autoridades constituídas e demais entidades sociais, no firme propósito de buscarmos, em conjunto, as melhores soluções para o desenvolvimento do município de Antônio Prado
Marco Antonio Uberti Gonçalves
Presidente Gestão 11/12
Vice-Presidentes:


Artur Baldin (Indústria)
Osvaldo Raimundo Conte (Comércio)
Marco Antonio Uberti Gonçalves (Serviços)
Ao assumirmos a associação, encontramos um ambiente com muito potencial para ser desenvolvido e, de imediato, identificamos várias ações interessantes que poderiam ser implementadas. Precisávamos realmente tomar algumas decisões, estruturar a associação de forma a dar a ela um contexto mais profissional e, ao mesmo tempo, expandir os serviços que prestava. Ela já gozava de alto conceito por realizar várias prestações de serviços, porém essas precisavam ser expandidas e divulgadas. Nós procuramos dar a ela uma estrutura nova, em todo o ambiente de trabalho, bem como na parte funcional, quando criamos a Diretoria Executiva. Acredito ter sido essa uma das mais positivas ações da administração, pois possibilitou, graças à competência e à criatividade da Cláucia e de sua equipe, a realização de tantas ações registradas com sucesso na gestão 2009/2010. Formamos o Conselho Executivo com a participação de Artur Baldin como Vice da Indústria, de Osvaldo Raimundo Conte como Vice do Comércio e de Marco Antônio Uberti Gonçalves como Vice de Serviços. Nós nos reunimos, definimos um plano de trabalho, e um dos objetivos que ficou claro para nós é que tínhamos que fazer um planejamento estratégico para a ACIS-AP. O planejamento estratégico da associação foi norteando os trabalhos para iniciarmos a reestruturação administrativa, então pensamos: “Agora o caminho é este”. E, a cada reunião de planejamento estratégico que fazíamos, íamos descobrindo o caminho para colocar em prática algumas ações que eram necessárias para a proposta que havíamos definido. Então, o planejamento estratégico foi uma ferramenta que realmente deu estrutura para todas essas ações que passamos a desenvolver. Definimos como Missão da associação: “Promover a integração das empresas de Antônio Prado e região para o seu desenvolvimento sustentável e o da comunidade”. Como Visão: “Ser reconhecida como entidade dinâmica e inovadora, referência e modelo em gestão, comprometida com o desenvolvimento da sociedade”. Como Negócio, ficou entendido o de “Fomentar a criação, o desenvolvimento e a integração das empresas”. Esses foram os três fundamentos do planejamento estratégico, porque percebemos que muitas coisas precisavam ser feitas e começamos a elaborar programas, como, por exemplo, um dos grandes programas que nós acreditamos ser o diferencial da nossa gestão é o programa “Avanti 2030". Criado em abril de 2010, é um programa permanente da associação, é uma ferramenta que impulsiona o desenvolvimento empresarial do Município de Antônio Prado, pois traça um rumo para os próximos 20 anos nos setores de comércio, indústria, serviços e agropecuária. Com o programa “Avanti 2030" foram criadas também as Câmaras Setoriais da Indústria, do Comércio, dos Serviços e da Agropecuária. Esses são grupos formados por associados da mesma atividade, com o objetivo de discutir temas específicos que contribua para a adoção de propostas capazes de fomentar os desenvolvimentos social, econômico e cultural do Município de Antônio Prado. Além do que o programa “Avanti 2030" discutiu mensalmente, por meio de seminários transmitidos ao vivo pela Rádio Solaris, temas de interesse dos associados e da comunidade local. Para os seminários são convidados profissionais da área e debatedores que refletem a respeito do tema proposto, projetando Antônio Prado para os próximos 20 anos. Desde o início, foram desenvolvidas diversas ações no programa “Avanti 2030", dentre elas oito seminários: o primeiro seminário com tema voltado à indústria, ao comércio e aos serviços; o segundo sobre o meio ambiente e saúde; o terceiro sobre turismo e qualidade de vida; o quarto sobre agropecuária e produção; o quinto sobre educação e cultura; o sexto sobre lazer e esporte, o sétimo sobre empreendorismo e tecnologia, e o oitavo promoveu uma avaliação geral, incluindo uma pesquisa sobre as possibilidades de utilização dos espaços do Centro Municipal de Eventos de Antônio Prado Estudos de viabilidade de gestão estão sendo analisados por entidades como a ACIS, a CDL, a Associação dos Motoristas e o CTG Cancela do Imigrante, juntamente com a Prefeitura para administrarem o espaço. Todo esse material produzido nos seminários servirá como documento de base a ser usado para pontuar todas as ações que nós poderemos desenvolver no nosso município nos próximos anos. Nós criamos a “ACIS-Jovem Empreendedor”, em maio de 2010. Depois os integrantes acabaram desenvolvendo um seminário cujo tema foi: “Abrindo o meu Próprio Negócio”, num período de cinco dias e que reuniu 130 jovens, com o objetivo de promover o empreendendorismo por meio da troca de experiências e de contato com o mundo empresarial de forma inovadora e sustentável. A ACIS-Jovem vem contribuindo com ideias e sugestões para o desenvolvimento empresarial de Antônio Prado, dando ênfase à questão ambiental local e regional. Ainda integrando o programa “Avanti 2030", fizemos o pré-lançamento da “Feira Nacional da Massa” (Fenamassa), evento que passará a acontecer a partir de 2011, na cidade de Antônio Prado, em conjunto com a Mostra Del Paese. Fizemos, também, na sequência, a setorização da associação, que é um outro item importante e que fazia parte do que foi visualizado. Então, na nossa gestão, as atividades da entidade foram separadas por departamento. Hoje a ACIS-AP está dividida em departamentos: Financeiro, Contábil, de Compras, de Planos e Serviços, de Recepção, de Cultura e Turismo, de Comunicação e Marketing e uma Diretoria Executiva. Realizamos uma ampla reforma nas salas administrativas e no auditório. O auditório foi equipado com data show fixo, televisão e som, servindo para a efetivação de pequenos eventos, palestras e cursos. Tivemos, também, a padronização dos processos de trabalho, por meio da criação dos Procedimentos e Padrões da Associação Comercial (PPAs) sendo que as atividades passaram a ser descritas para otimizar a prestação de serviços. Foram criados formulários de comprovação da realização de processos o que mantém atualizado o histórico das tarefas diárias. A atual gestão investiu na capacitação dos funcionários, a fim de reverter em qualificação dos mesmos e na qualidade dos serviços oferecidos pela entidade. Renovamos parcerias com o Senai, o Sebrae, a Federasul, o Senac, o Sindicato dos Bares, Restaurantes e Hotéis e Similares da Região da Uva e do Vinho, a Escola Question, a Fundação Getúlio Vargas, a Segurasul e o Instituto Você RS. Em 2010, procuramos intensificar o calendário de cursos, treinamentos e palestras a profissionais das mais diversas áreas, com o objetivo de qualificar a mão de obra existente em Antônio Prado, o que reverte em qualidade dos produtos e serviços para o nosso município, dentre eles: noções básicas para garçons, nota fiscal eletrônica, de olho na qualidade, operador de empilhadeira, matemática financeira, gestão de pessoas, boas práticas na fabricação, treinamento e segurança (para trabalhadores da construção civil), dicção, desinibição e oratória, aprenda a investir em bolsa de valores, curso de Cipa e Metrologia no Senai. Nas palestras contamos com a ilustre presença de André Luis Gomes da Silva, facilitador do Instituto Você RS, e, nos cursos, destacamos o Empretec do Sebrae que contou com 15 participantes, cujo objetivo era desenvolver conhecimentos empreendedores para uma efetiva aplicação do aprendizado. Também fomos beneficiados com o curso de consultoria gratuita “Sebrae na Rua”, realizado no autiditório da ACIS-AP. Promovemos uma visita ao Terminal de Contêineres de Rio Grande (Tecon) para maior conhecimento sobre o funcionamento de portos e do setor de exportações. Participamos da comitiva juntamente com a CDL e a Prefeitura Municipal para reivindicar na Fiergs, em Porto Alegre, a permanência da Escola do Senai em Antônio Prado. Entregamos por meio do Vice-Presidente Marco Antônio Uberti Gonçalves o relatório do projeto “Pulando Janelas” ao Ministro da Cultura Juca Ferreira. Desenvolvemos o projeto “Educação Ambiental, Patrimonial e Turística do Município de Antônio Prado”, com o objetivo de preparar os jovens para o conhecimento da história e de suas raízes, oportunizando, por meio do conhecimento, uma visão de desenvolvimento sustentável para essas áreas. Realizamos o primeiro passeio turístico por Antônio Prado destinado aos associados da ACIS-AP e comunidade em geral, com o intuito de promover o conhecimento da história local e dos pontos turísticos de nossa região. Apoiamos a realização da comemoração dos135 Anos da Imigração Italiana em Antônio Prado, juntamente com o Círculo Cultural Ítalo-Brasileiro, as Secretarias Municipais da Educação, Cultura e Desporto e a de Turismo e Indústria. Além das reuniões-jantares feitas regularmente durante todo o no, criamos também um Happy Hour, ambiente descontraído, onde os associados podem participar de um diálogo informal, trocando ideias, conversando, interagindo com os demais participantes. Para comemorar os 23 anos da ACIS-AP, seguindo a tradição das outras gestões, no segmento de palestras, conseguimos trazer o palestrante vele jador Lars Grael, que contou com a participação de mais de seiscentas pessoas. Tivemos também a presença da jornalista Ana Amélia Lems, senadora eleita. Outro evento que promovemos no Clube União foi a Milano Designer Week, uma feira praticamente itinerante, promovida por Marta anente, arquiteta de Bento Gonçalves, designer na área moveleira, que esteve em Antônio Prado palestrando sobre as tendências do setor. Na área contábil, regularizamos a situação da ACIS-AP, com o objetivo de apresentar a prestação de contas da associação. Adquirimos equipamentos de informática e investimos em novos sistemas de software, oportunizando um novo gerenciamento do sistema da ACIS-AP. Foi feita também a aquisição de um automóvel para atender às necessidades dos trabalhos diários da associação e de representação em eventos na região e no Estado. Estamos trabalhando na revitalização da Sede Campestre por meio do cercamento e da construção de um pórtico que, certamente, será um centro de treinamento muito bem-aproveitado futuramente, por todos. Reestruturamos o Departamento de Cultura, incluindo o Setor de Turismo, ocasião em que passamos a ter assessoria de uma profissional turismóloga duas vezes por semana. Criamos a Assessoria Jurídica, sendo que a ACIS-AP passou a contar com advogados para atendimento aos associados, que podem utilizar os serviços gratuitamente de modo a dar um melhor atendimento e orientação em suas empresas. Elaboramos um programa de qualidade na associação, “Os 5Ss”, que foi implantado em abril de 2010. Por meio dele, o atendimento foi otimizado, agilizando-se processos de trabalho e contribuindo para a excelente organização das atividades do quadro funcional. Na comunicação, também algumas novidades: foram criados veículos de comunicação com os associados, a fim de aproximar as ações das entidades e das empresas para com os associados. Para isso, foi criado o “Informativo Mensal”, o programa de rádio “Conexão Empresarial”, com a participação semanal de um associado da entidade. As atualizações no site passaram a ser feitas diariamente e, nos jornais da cidade, desfrutamos de um espaço fixo para divulgação das informações. Foram elaborados novos projetos gráficos para os materiais impressos, banners, fôlderes, incluindo novo logotipo, melhorando a imagem da associação em geral. Reformulamos o site tornando-o muito mais interativo, disponibilizando um link para o Balcão de Empregos e para o preenchimento de currículos online. A associação tem uma grande abrangência em toda a cidade, visto que nós temos solicitações quase quinzenais de colaboração em vários segmentos da comunidade. Fizemos parceria e doações para o coral “Vozes do Prado”, a Patre, a Apae, o Cibrap, os Parceiros Voluntários, o Hospital São José, os Bombeiros Voluntários. Participamos com ajuda financeira para a compra de ambulância. Tivemos uma participação bastante forte na festa “Natal da Criança Pradense” do Lions Clube, com o patrocínio de brinquedos infláveis para a diversão das crianças no fim de cada e na XXI Conferência Distrital do LEO Clube. Estamos participando do Cored, da Cics Serra, da Assembleia Legislativa, da Câmara de Vereadores, do Poder Público Municipal, sempre interagindo, nos colocando à disposição, nos mantendo informados para bem representar a associação. Nesse contexto, participamos da comissão, que reivindica “Asfalto Já” em conjunto com a Câmara de Vereadores e o Poder Público Municipal, o que nos levou a fazer uso da palavra na Assembleia Legislativa do Estado do RS, solicitando o asfaltamento da RS-448, que liga Antônio Prado a Nova Roma do Sul e da RS-437, que liga Antônio Prado à Vila Flores. Organizamos o concurso para escolha da Rainha, Princesas e Embaixatrizes de Antônio Prado (2010), juntamente com a CDL, a Associação dos Motoristas de Antônio Prado e a Prefeitura Municipal, que foi coordenado por Júlia Maria Scopel Matzembacher, à qual gostaria de agradecer o empenho e sucesso do impecável evento. Realizamos uma Assembleia Geral Extraordinária que foi presidida pelo Presidente do Conselho Deliberativo Vitor Bocchese Grazziotin, quando foi alterado o Estatuto da entidade para a inclusão do Setor de Agropecuária. Apoiamos a inauguração do Centro Cultural Projeto Memória – Casa Grezzana Belfiore di Verona, espaço cultural que será disponibilizado para visitação pública a partir de 2011. Participamos de movimento em prol da segurança pública municipal, apoiando o evento, firmando abaixo-assinado que reivindicava um delegado permanente em nosso município. Estivemos representados pelo Presidente da Mostra Del Paese, Tiago Scopel, no 22º Festival de Turismo de Gramado, juntamente com a Secretaria Municipal de Turismo para divulgar a 10Mostra Del Paese de Antônio Prado. Iniciamos um processo de recuperação da memória e reconstituição da história da ACIS-AP, e estamos dando o primeiro passo com este trabalho, pois acreditamos que a memória dessa entidade se funde com a história do município. Editamos este livro que conta a trajetória da ACIS-AP e que nos permitirá a socialização das informações para que todos possam conhecer o percurso de sucesso dessa entidade. Eu, como Presidente da ACIS-AP, gostaria de fazer um agradecimento especial à Ex-Presidente Júlia Maria Scopel Matzembacher pelo convite que recebi para poder estar aqui como Presidente. Almejo e desejo que a gestão do Presidente e amigo Marco Antônio Uberti Gonçalves consiga continuar a administração do processo de mudanças, quebrando paradigmas e realizando os sonhos de nossos associados de uma ACIS-AP cada vez mais competitiva, atualizada e “Avanti 2030". Desejo que a associação (como entidade representativa de todos esses segmentos) seja cada vez mais participativa em nossa comunidade, crescendo, se inteirando dos problemas da nossa região e que possa realmente trazer grandes benefícios e muita satisfação para todos nós, seja na área social, na cultural ou na econômica. Posso dizer que a associação é uma história de sucesso, e que, certamente, continuará sendo assim.
Irineu Mota Cabral
Presidente Gestão 09-10
Vice-Presidentes:


Itamar Cavazzola (Indústria)
Neimar Dotti (Comércio)
Luiz Anselmo Ziliotto (Serviços)
Em 2007, assumi a ACIS-AP, juntamente com o meu grupo de trabalho. Tive como Vice da Indústria Itamar Cavazzola, Vice do Comércio Neimar Dotti e Vice de Serviços Luiz Ziliotto. Foi um grande desfio pessoal porque foi algo diferente daquilo que eu já havia feito ou estava habituada a fazer. Foi um crescimento pessoal muito grande e posso afirmar que foi tanto para mim (como Presidente) como para os três Vices, porque nenhum dos quatro tinha participado diretamente do Conselho Executivo da associação. Sempre nos envolvemos de alguma maneira com a associação por meio das feiras, da Mostra Del Paese, da escolha da Rainha do Município, às quais atividades sempre estive ligada. Dessa forma, nós participávamos da associação. Mas passar a administrar e a estar à frente dessa entidade foi uma experiência nova e um crescimento pessoal para todos nós. Inclusive porque fui a primeira mulher a estar à testa da entidade. No começo, foi mais um período de adaptação, de conhecimento, de entendimento, de perceber realmente quais eram as funções da associação perante a comunidade, perante a associação e seus associados. Foi um começar a conhecer. Na época, nós quatro sentamos, nos reunimos várias vezes, todo o Conselho Executivo, para realmente entender qual seria o funcionamento e encontrar maneiras, buscar alternativas de crescimento para a associação. Está vamos com sede nova e pessoas novas para administrar. Então, foi nesse espaço que a gente assumiu a associação. O meu antecessor Ricardo Zanotto fez a transferência para a sede nova na Avenida Valdomiro Bocchese. Logo começamos a buscar parceria com o CDL, pensando em unir forças para trabalhar para a comunidade, pois se nos uníssemos e trabalhássemos juntos, nossos resultados seriam maiores. Fiquei muito feliz porque o Presidente da CDL Marcelo Carniel aceitou o desafio, e nós conseguimos fazer muitos trabalhos juntos, e todos ganharam com o trabalho desenvolvido em conjunto, principalmente o nosso município. Nesse ano, com essa parceria realizada com a CDL, a associação foi convidada pela Cooperativa Pradense, junto com a Prefeitura Municipal e a Câmara de Vereadores a fazer parte de uma pesquisa para trabalhar mais o nosso município no segmento de turismo. E foi feito, então, todo um trabalho bem-elaborado. A associação assumiu a direção, e todas as reuniões passaram a acontecer na sede, com a participação, inclusive, da Emater. Com isso, nós criamos na associação o Departamento Cultural, com o objetivo de incentivar justamente essa área cultural ligada ao turismo. Dessa ação nasceu também o Fundo de Turismo que continua tendo sua sede na associação, e isso nos deixa muito orgulhosos porque era algo importante de que Antônio Prado precisava. Em virtude desse trabalho, tivemos que fazer alterações nos Estatutos da entidade para atender às necessidades do momento, contemplando, também, os apicultores da nossa cidade. O resultado veio rapidamente, porque nós fizemos projetos para os apicultores justamente via Departamento Cultural que havia sido criado para tal. Nós criamos a Cooperativa dos Apicultores (Coap). Ela foi criada na associação e com o apoio da associação. No dia da criação da cooperativa, foi com a nossa presença e disso a gente também sente muito orgulho de ter podido participar e colaborar. Realizamos também um trabalho com os mecânicos de Antônio Prado. Por exemplo, toda semana, eles tinham encontro conosco, nós cedíamos a sala, o material, toda a infraestrutura de que precisavam. Essa foi a colaboração que a associação deu para os mecânicos poderem se aperfeiçoar, os moveleiros, os apicultores e foi nesses encontros que surgiu a cooperativa, a partir desse trabalho realizado aqui, mas em parceria com o Senai. A promoção do “Você Mais Feliz” nós realizamos em parceria com a CDL durante dois anos. Continuamos o trabalho realizado anteriormente pelas outras gestões e também colhemos os resultados positivos que a promoção buscava. Trabalhamos também para reformular o plano de saúde no que dizia respeito a acidente de trabalho, pois os valores estavam muito altos. Nós conseguimos, por meio da Unimed, fechar o pacote e passamos o plano de saúde junto com o de acidente de trabalho o que ficou mais em conta. Os nossos médicos ficaram satisfeitos e conseguimos um resultado melhor. Tivemos ações também no Hospital São José. Diógenes Weber e Roberto José Dalle Molle solicitaram a participação da associação, que também se fez presente para ajudar a alavancar o hospital e hoje nós temos orgulho em ver o hospital revitalizado. A associação sempre esteve presente nesse processo, e acredito que foi um ponto positivo da nossa administração. Outro ponto positivo que aconteceu na nossa administração foi a inauguração da subestação de energia elétrica, objetivo perseguido desde o início da associação, pois o problema da energia esteve presente por mais de duas décadas em nosso município. Foi um trabalho de continuidade de todos os gestores anteriores. Eu tive o privilégio de inaugurar, mas inaugurei em nome de todos os que trabalharam nessa missão. O trabalho na associação exigia muito dos participantes do Conselho Executivo, mas sempre consegui conciliar o trabalho na empresa, a família, e a presidência da ACIS-AP. Enfrentamos muitas situações difíceis, mas conseguimos superar todas com muita garra e determinação. Por isso eu disse para o Cabral: “– Se você não aceitar, eu fico de Presidente, de bom gosto, pelo envolvimento que tive com a associação.” Todo empresário, toda pessoa que conhece a associação sabe o quanto ela é fundamental para nossa comunidade, para o nosso município. Então, é muito importante que todos os Presidentes que já passaram e todos os que vierem um dia a estar aqui como Presidente da associação, entendam exatamente isto: o Poder Público está lá, mas nós somos a voz do povo, nós estamos aqui representando a indústria, o comércio e os serviços e agora, mais recentemente, a agropecuária, e o Poder Público conta conosco. Se nós queremos trabalhar em parceria, nós também precisamos participar e nos envolver. Também ajudamos na organização do Natal em parceria com o Poder Público, exemplo que também foi seguido pelo Corpo de Bombeiros, quando fornecemos toda a roupa para a equipe e fomos em busca até de um carro. A Brigada Militar, várias vezes, esteve aqui solicitando apoio, e nós nos envolvemos, participamos e apoiamos a Brigada Militar. Saber que ela é uma entidade importante, que tem peso, que é forte, é uma coisa, mas estar aqui e vivenciar, participar, se envolver é outra bem diferente, é bem gratificante, e isso eu posso garantir. Veja o quanto abrangente é a associação em nosso município, a diversidade de ações que realiza na comunidade, mas que muitas vezes não é entendida, nem divulgada. Mas o trabalho existe, é verdadeiro, basta vir aqui e acompanhar. É importante ressaltar a valorização dessa entidade. Acredito que isso é fundamental para o nosso município; já não conseguimos pensar em Antônio Prado sem a associação. A integração com as demais entidades é de fundamental relevância para o desenvolvimento do município. Se caminharmos todos juntos, o caminho fica mais leve para todos, e os resultados aparecem de forma mais ampla, mais rápida para todos. Como Presidente da ACIS-AP, na gestão 2007/2008, só tenho a dizer da satisfação e da realização pessoal que foi poder estar presidindo essa entidade com o valor que ela tem para nossa comunidade. Estar à frente de uma entidade que representa a indústria, o comércio, os serviços e a agropecuária de um município que busca crescer cada vez mais é algo muito importante, pois faz com que a gente cresça como pessoa, como empresária, como alguém que vê um futuro melhor, não só para nós, mas para todo o município. O meu anseio é que o trabalho continue, e que haja cada vez mais renovação e envolvimento da comunidade porque quem ganha somos todos nós: o povo de Antônio Prado. Então, desejo que a associação continue crescendo, continue se desenvolvendo, continue buscando sempre alternativas para os seus associados, porque o objetivo é este: fazer com que o seu associado receba o retorno dos investimentos da associação juntamente com a nossa comunidade.
Julia Maria Scopel Matzenbacher
Presidente Gestão 07-08
Vice-Presidentes:


Olívio Madalozzo (Indústria)
Valter Brusamarello (Comércio)
Valério Vanzin (Serviços)
Quando assumi a associação, uma das primeiras preocupações era melhorar a sede da entidade. Já havíamos estado em outros dois lugares sempre pensado em acompanhar a demanda dos serviços que a entidade prestava. Primeiramente, pensamos em construir uma sede, mas depois, surgiu a oportunidade de comprar uma sala pronta, em prédio bem localizado, na Avenida Valdomiro Bocchese. Fizemos um excelente negócio para acomodar as futuras instalações da sede. Lembro que a compra foi efetuada na minha gestão, mas o dinheiro foi poupado durante todas as administrações anteriores. Um dos projetos em que tive participação desde o início foi o “Você Mais Feliz”,cuja continuidade foi dada em nossa gestão. É uma oportunidade de movimentar o comércio e também de dar algo para o cliente. Também demos continuidade ao trabalho que vinha sendo feito no sentido de melhorar a energia elétrica com a instalação de subestação junto com a RGE. Essa questão perpassou muitas gestões, mas todos os Presidentes deram continuidade ao projeto, porque se tratava de uma estratégia para beneficiar todo o município. Nas gestões da ACIS-AP, nós não pensamos somente na associação, somente no associado, pois a associação não trabalha só para os associados, ela trabalha muito para o desenvolvimento do município, trabalhando em conjunto com o Poder Público. Então, se percebeu que os agricultores também precisavam de apoio, de alguém que defendesse a classe deles. Na época, nós trouxemos um projeto do Sebrae que era o “Empreender” e nós passamos a trabalhar junto com o Sebrae, formamos o grupo de apicultores que constituiu uma associação e passou a trabalhar em conjunto para melhorar a comercialização do produto. Agora, temos a agricultura representada na ACIS-AP, isso vai melhorar muito a questão da representatividade da agricultura nos cenários regional, estadual e nacional. Também se trabalhou para a mudança dos estatutos da ACIS-AP para podermos agregar algo à área da cultura, porque a associação precisava fazer projetos que abrangessem a Mostra Del Paese. Então, alteramos o estatuto, e isso nos possibilitou apresentar projetos para a viabilização econômica da Mostra e de outros eventos. Com isso, enfrentamos o desafio de retomar a Mostra que não era realizada há alguns anos. A minha mensagem, para finalizar, lembro que participei por cinco anos da associação, como Vice e também como Presidente e acredito que pude ajudar a associação a atingir os objetivos propostos para o desenvolvimento da entidade e dos associados. Para mim foi certamente um engrandecimento pessoal e profissional, já que, depois que se passa por aqui, se adquire uma experiência diferente, se adquire mais conhecimento e se acaba estabelecendo uma relação direta com a comunidade. Hoje, a associação faz parte do município de Antônio Prado como uma peça-chave muito importante. Tanto o Poder Executivo do município pode contar com a associação como a associação pode contar com o Poder Executivo. Então, o que eu desejo é que a associação cresça mais a cada ano, que os Presidentes que assumirem a entidade tenham o mesmo pensamento que todos tiveram, que é o de buscar o desenvolvimento da entidade para que ela possa retribuir cada vez mais o apoio em forma de benefícios para todos nós.
Ricardo Zanotto
Presidente Gestão 05-06
Vice-Presidentes:


Paulo Rogério Faccioli (Indústria)
Ricardo José Zanotto (Comércio)
Arlindo José Mazzotti (Serviços)
Mesmo antes de ser Presidente da ACIS-AP (2002 a 2004), fui Vice-Presidente nas duas gestões anteriores: na gestão de Raul Schiochet por dois anos e na gestão de Orlando Reginato Júnior, também por dois anos. Então, minha passagem pela associação soma seis anos, quatro anos como Vice-Presidente e dois anos como Presidente. Nesses anos, procuramos sempre trabalhar para que a associação crescesse, se desenvolvesse cada vez mais junto com a comunidade, no sentido de dar ao nosso associado um suporte, uma assessoria cada vez melhor. No início da minha gestão, em 2003, lembro que houve a mudança de endereço da associação, pois a sede funcionava na Casa de Pedra e foi transferida para a Rua General Vargas, entre as Avenidas Valdomiro Bocchese e dos Imigrantes, ficando localizada mais no centro da cidade. A nova localização facilitou a visita dos associados. Na questão da indústria, por exemplo, havia problemas de energia elétrica envolvendo subestação, nós trabalhamos para a solução do problema dando total apoio às empresas. No comércio, nós continuamos a promoção do “Você Mais Feliz”, procurando manter a ideia de movimentar o comércio local, especialmente nos meses de outubro, novembro e dezembro, começando pelo Dia da Criança até o Natal. A associação, depois da Prefeitura, é a entidade mais representativa do município. Então, a força da associação, tanto na indústria como no comércio e nos serviços, tem destaque muito grande. Então, nós procurávamos, cada vez mais, incentivar e assessorar os associados com cursos, com palestras. Trazíamos palestras para o público em geral, além das reuniões-jantar onde eram dadas várias palestras direcionadas ao nosso empresário, para que ele pudesse ter uma bagagem, algo mais para poder usar na sua empresa em todos os sentidos. Buscamos, também, aumentar o número de associados pensando na sustentabilidade econômica da associação. Mantivemos os convênios existentes e trabalhamos para os aprimorar cada vez mais, pensando no retorno ao associado. A Unimed, os telefones são convênios que já existiam, mas que foram aprimorados ao longo do tempo, sempre pensando no associado. Também participamos ativamente da criação do Plano Diretor para o Município de Antônio Prado. A associação esteve diretamente ligada, sempre presente, dando sua parcela de contribuição para o desenvolvimento da cidade. Tanto é que a Mostra Del Paese é uma das maiores promoções que a comunidade realiza, e é feita pela associação direcionada diretamente à comunidade, isto é, não é somente para o associado, é para elevar o nome de Antônio Prado. Sempre que se faz alguma coisa para o associado, se faz indiretamente para comunidade. Na área da saúde, a associação participava do Conselho Municipal de Saúde. Eu, como Presidente, fiz parte do Conselho, pois são serviços importantes realizados para a comunidade e que quase não aparecem, mas a associação está presente. Assim também aconteceu com outras entidades que receberam a ajuda da associação como assessoramento. Outro serviço importante que é prestado é a consulta ao Serasa. Para nós, a associação traz experiências, traz uma bagagem muito grande. É investido muito tempo na gestão da associação, mas ela nos gratifica com aquilo que nós adquirimos ao longo desse tempo. Mas como nós temos uma boa assessoria na ACIS-AP, isso facilita muito a administração do Conselho Executivo. Temos três vices que estão diretamente ligados ao conselho, e se sabe que os Vices trabalham tanto quanto o Presidente, porque nós realizamos um trabalho em conjunto. Tudo que se fazia era decidido sempre em conjunto. Nós nos reuníamos semanalmente, às terças-feiras de manhã, para tratar dos assuntos. Então, nós procurávamos estar sempre presentes nos eventos e compromissos da ACIS-AP, conciliando com a nossa atividade profissional. Hoje podemos dizer que ela é uma entidade formada, bem-sucedida, bem-organizada, fruto da dedicação de muitas pessoas da comunidade e, com certeza, é uma entidade que só tem a crescer com mais pessoas participando e pensando no futuro, como nós podemos confirmar com o Projeto “Avanti 2030: pensando no futuro e agindo no presente”. É um projeto que foi pensado pela associação, que vai ajudar muito a ACIS-AP e a comunidade a se desenvolver. A entidade está pensando em fazer isso voltado à comunidade, algo que vai marcar Antônio Prado. Gostaria de parabenizar a associação pelos seus 23 anos e por essa iniciativa de se estar realizando este trabalho para deixar algo marcado na história da associação. Realizando esse trabalho de recuperação da memória, vamos deixar uma história para as futuras gerações. Daqui a alguns anos, estarão aí nossos filhos, nossos netos e saberão o que foi a associação, o que ela fez, do que ela participou. Deixo a minha mensagem parabenizando esse belíssimo trabalho da associação e também todos aqueles que passaram por aqui: os Presidentes, os Vices, os funcionários que estavam sempre junto, trabalhando. Posso dizer que nesses quatro anos como Vice-Presidente e dois anos como Presidente dessa entidade, com certeza, só pude crescer com essa participação, que nós fizemos para o desenvolvimento da associação e de seus associados.
José Carlos Ghinzelli
Presidente Gestão 02-04
Vice-Presidentes:


Paulo Rogério Faccioli (Indústria)
Francisco Carlos Scopel (Comércio)
José Carlos Ghinzelli (Serviços)
Ao assumirmos a associação, tínhamos o desafio de aumentar o número de associados, de qualificar a mão de obra dos colaboradores, dos trabalhadores em nossas empresas. Nós precisávamos melhorar a nossa sede instalada na Casa de Pedra, onde hoje é a Câmara de Vereadores. No primeiro momento, sugerimos ao Poder Público que se fizesse uma reestruturação geral nas instalações para a permanência da sede no local. Depois surgiu, na nossa gestão, a oportunidade de comprar a antiga sede dos Veteranos, onde hoje é a sede social da associação. Na época, os membros do Conselho Executivo aprovaram a compra com o objetivo de um futuro aproveitamento do local para a associação. Atualmente a associação está trabalhando em uma sede própria, bem localizada no centro da cidade, e a outra área já tem projeto para ser utilizada. Promover algumas campanhas para incentivar o comércio local, para que o pradense comprasse em Antônio Prado, também foi um dos nossos objetivos e pelo qual trabalhamos muito. Então, nós pensamos em fazer uma campanha “Você Mais Feliz” para incentivar o comércio e os prestadores de serviços, tanto que a associação convidou os associados a fazerem parte. Já na primeira edição, o primeiro prêmio foi um carro 0 km. Então, na época, nós destinamos uma verba para a campanha, porque, se houvesse qualquer problema, a associação bancaria as diferenças e entregaria o prêmio. Mas foi bem o contrário: foi um sucesso, um sucesso que motivou a realização de outras edições do “Você Mais Feliz”. Também desenvolvemos ações para aumentar os benefícios aos associados e, com isso, atrair novos associados. Uma delas foi a criação do seguro-saúde, que consistia em reembolsar o valor das diferenças dos exames do Plano de Saúde até um limite estabelecido pela associação (100, 150 reais naquele tempo), um benefício inédito para a época. Nós entendíamos que é na doença que mais se precisa de ajuda. Criamos uma espécie de fundo, um caixa numa conta separada, depois foi dado esse benefício para o associado. Continuamos com a promoção de cursos, promovíamos também palestras, sempre com o objetivo de trazer um palestrante de renome nacional, pelo menos uma vez por ano, dentro do calendário das palestras que tínhamos para apresentar. Participamos, também, da fundação do Banco do Povo em Caxias do Sul, destinado a atender ao microcrédito. A associação ajudou a estruturar os “Parceiros Voluntários”. Para começar a formar a infraestrutura, ajudamos a organizar a parte burocrática colocando à disposição a estrutura existente na associação. Trabalhamos para mudar o nome da ACIS, porque o nome era AICS, e todos tinham dificultade de pronunciar, não era uma sigla que se apresentava bem para o entendimento da entidade. Aproveitando as comemorações dos 15 anos da associação, nós encaminhamos esse pedido de mudança, incluindo a criação da logomarca - símbolo visual - que mais tarde foi melhorado, refeito, reestruturado. Essas foram algumas das ações em que trabalhamos. Acredito que todas elas foram bastante significativas. O que nós almejamos é que Antônio Prado entenda que precisamos trabalhar todos olhando para um lado só. Se um vai para o Norte, e outro, para o Sul, teremos sempre dificuldade para ajudar no desenvolvimento da cidade. Eu vejo a associação como uma ferramenta essencial para o futuro do município. A minha expectativa é que ela continue sendo essa mola alavancadora do progresso do município, que continue fazendo parcerias com o Poder Público, que consiga desenvolver o município cada vez mais e que ajude a desenvolver também seus associados de forma geral, por meio de melhorias da mão de obra, da infraestrutura, da capacitação dos empresários e de tantas outras atividades e ações que poderão ser desenvolvidas com esse fim. A associação está com este projeto “Avanti 2030" que está pensando nessas questões. Então, dentro disso, penso que serão discutidos bastante esses processos. Quero deixar registrado o meu agradecimento aos Vice-Presidentes Paulo Faccioli, José Carlos Ghinzelli, Francisco Scopel, depois Ricardo Zanotto, porque, sem eles, não se teria conseguido os resultados que conseguimos. É uma honra para mim ter sido Presidente da associação com a ajuda de toda essa equipe.
Orlando Reginatto Junior
Presidente Gestão 00-02
Vice-presidentes 97/98:


Orlando Reginatto Junior (Indústria)
Irineu Mota Cabral (Comércio)
Luis Carlos Pinto de Araújo (Serviços)
Vice-presidentes 99/00:


Orlando Reginatto Junior (Indústria)
Irineu Mota Cabral (Comércio)
Luis Carlos Pinto de Araújo (Serviços)
A minha participação na ACIS-AP iniciou na fundação, mas no Conselho Executivo assumi como Vice-Presidente da Indústria na gestão de Ivanor Sérgio Ciconetto. Em 1997, assumi novamente como Vice-Presidente da Indústria na gestão de Homero Beltrame. Como o Homero por questões profissionais se afastou, acabei assumindo provisoriamente a entidade até a convocação de nova eleição, que ocorreu mais tarde. Na eleição permaneci como Presidente, depois fui reeleito para a gestão de 1999/2000. Então, atuei como Presidente durante quatro anos. Depois disso me afastei um pouco da mesa, mas sempre permaneci na associação, mas não diretamente ligado ao Conselho Executivo. Em 1987, nós não tínhamos uma entidade em Antônio Prado que representasse especificamente a indústria, que defendesse os interesses da classe empresarial. Em todos os municípios da região: Flores da Cunha, Caxias do Sul, etc., já existia, principalmente Caxias do Sul. E nós percebíamos que, quando a indústria tinha algum interesse para defender na região, com vistas a obter algo do governo estadual ou federal, nós dependíamos sempre da Prefeitura. Não é que a Prefeitura não desempenhasse seu papel, nós é que não tínhamos alguém que nos representasse e que defendesse os nossos interesses. Com a fundação da associação, passamos a ter uma entidade que lutava e respondia às necessidades e aí começamos a participar de outras reuniões de outras associações e, com isso, ela passou a se desenvolver e, felizmente, se tornou cada vez mais forte, cada vez mais representativa. Isso ajudou muito na história do Município de Antônio Prado. A Associação Comercial teve um papel fundamental em muitos aspectos, principalmente no que se referia diretamente à indústria e ao comércio de nossa cidade. Após isso, ela passou a ter uma representatividade, e, quando se apresentava algum projeto, ou quando se apresentava ao governo do Estado ou a outros órgãos, ou mesmo entidades, se pensava: nós estamos aqui representando a indústria e o comércio de Antônio Prado. Então dava um outro enfoque bem maior. Acredito que isso foi fundamental e, felizmente, ela teve continuidade e progresso que hoje representa muito para todos nós. No primeiro mandato, lembro que tínhamos um grande problema com energia elétrica. O desafio era trazer um alimentador de Nova Prata para Antônio Prado, porque o Moinho do Nordeste tinha um problema muito sério com a falta de energia, o que o impedia não só de crescer, mas de manter a produção devido a constantes interrupções na rede. Nós trabalhamos para conseguir um reforço na energia e, depois, buscamos um novo alimentador, que reforçou e ampliou muito a capacidade de energia para Antônio Prado. Quando nós trouxemos o alimentador, ele foi custeado 50% pelas empresas de Antônio Prado, depois fomos reembolsados pela RGE alongo prazo, em forma de energia, mas se nós não participássemos com 50%, o alimentador não teria sido instalado. Então, por isso que a união é imprescindível nas questões fundamentais para o município. O empresário sempre se uniu e participou com a Prefeitura e a comunidade na solução das demandas. Mas isso ainda não era suficiente para continuarmos a crescer, então, continuamos defendendo a instalação de uma subestação com a RGE, que veio se consolidar muitos anos depois. Nós tínhamos um outro desafio: buscar o interesse cada vez maior do povo de Antônio Prado para que investisse em nosso município, que acreditasse que aqui era possível promover o desenvolvimento. Enfrentamos esse desafio junto com os associados. Para que isso acontecesse, nós continuamos a investir em palestras mensais, sempre com temas diferentes, abrangendo o comércio, a indústria e os serviços, no sentido de que mostrássemos a nossa realidade nacional, inclusive internacional, mas com um enfoque regional. Mas isso não se direcionou só à área administrativa, nós buscamos envolver todos os funcionários das empresas. Nós enfrentamos outro grande desafio que era projetar a Mostra Del Paese, cujo presidente, na ocasião, era eu, para um novo espaço, no Centro de Eventos, que passou de 1.300m de área no Salão da Gruta para um espaço de, aproximadamente, 6.000m. Quer dizer, nós tínhamos que ampliar a Mostra em quatro vezes. Felizmente, com a união de todos, junto com o Luis Marcon que foi o Vice-Presidente da Mostra, nós conseguimos atingir o objetivo. Também durante a minha gestão, fizemos investimentos em informatização, mudamos equipamentos, aumentamos a capacidade dos mesmos, aumentamos o número de computadores, de programas, porque a entidade estava se tornando cada vez maior e não podíamos parar no tempo. Outro assunto pelo qual trabalhamos foi o convênio com a Unimed Nordeste, e o grande desafio na área da saúde foi a criação de um banco de sangue no Hospital São José, pois nós dependíamos de Caxias do Sul, não tínhamos um litro de sangue para quem precisasse. Nós colocamos no hospital um refrigerador para manter a estrutura e um estoque de sangue para atender a alguma emergência. Depois trabalhamos muito para criar o Plantão 24 horas no hospital, porque o atendimento 24 horas era fundamental e poderia salvar muitas pessoas. Eu cito três experiências importantes na parte profissional: uma foi a de ter sido Presidente da associação, outra a de ter sido empresário em Antônio Prado, e outra a de ter sido Presidente da Mostra Del Paese. Sozinho, se tem uma visão única; com a participação de todos, começa-se a aumentar, a ampliar os horizontes. Eu gostaria de deixar para todos os associados dessa entidade pujante, forte, consolidada, que eles acreditem cada vez mais no seu potencial e naquilo que ela pode representar para a empresa de cada um, e também dizer a todos os novos empresários, às novas lideranças que surgem, que a gente passa, mas o trabalho realizado fica para o bem de toda a comunidade. Acredito ter contribuído com o objetivo da associação, e que isso sirva de estímulo para que outros possam também se dedicar e trabalhar para o bem coletivo dos associados e da comunidade de Antônio Prado.
Raul Schiochet
Presidente Gestão 97 a 00
Vice-Presidentes:


Raul Schiochet (Indústria)
Irineu Mota Cabral (Comércio)
Eduardo Bettoni (Serviços)
Estivemos na presidência da associação por um curto período. O que mais me marcou foi a possibilidade de poder promover o crescimento de empresas pequenas, fazendo com que conseguissem atingir seus objetivos. Essa experiência de presidir uma entidade de classe faz com que a nossa maneira de pensar e agir seja menos individualista, nos torna mais humanos. Realizar sonhos individuais é gratificante, poder ajuda a realizar sonhos alheios proporciona uma enorme satisfação, principalmente quando se está à frente de uma associação que busca o progresso de todos, apoiada na união dos associados. A AICS de Antônio Prado é um belo exemplo de união.
Homero Beltrame
Presidente Gestão 96-97
Vice-Presidentes:


Homero Beltrame (Indústria)
Vilson José Marcon (Comércio)
Veralcy Stedile (Serviços)
Quando assumi a presidência do Conselho Executivo, o maior desafio era trabalhar pela união dos poderes de Antônio Prado: Associação, CDL e Poder Público. A unificação dos poderes foi até interessante. Surgiu o primeiro Fórum de Entidades do município, que congregou todas as entidades: CIC, CDL, Câmara de Vereadores, Poder Público, um pensamento direcionado para o desenvolvimento de Antônio Prado, a união das forças de todas as entidades representativas do município para buscar algo para Antônio Prado, inclusive houve a reivindicação de asfalto que depois se concretizou. Em conjunto com a comunidade pradense e com a força das demais entidades, nós tínhamos mais chance de alcançar os resultados de que Antônio Prado precisava naquele momento. Cada uma fazia a sua parte para construir o todo. Foi assim que surgiu o primeiro Fórum de Entidades de Antônio Prado (Fedap), tanto que foi Presidente, naquela época, Roberto José Dalle Molle, mas as iniciativas partiram da associação na minha gestão. O Fedap cumpriu seu objetivo naquele momento e, hoje, permanece a semente plantada para que todas as entidades, na hora de fazer algo maior, procure se unir a outras, agregar-se às demais entidades. Assim também nasceu o consenso político, exatamente porque nós pensávamos que a nossa cidade era muito pequena para vários caminhos, nós tínhamos que conciliar os percursos, independentemente da cor partidária de cada um, a nossa cor era Antônio Prado. Em um segundo momento, foi exatamente viabilizar uma receita para a associação, talvez alguns convênios. O maior convênio, nesse período, foi a Unimed. Então, nós conseguimos com isso dar uma sustentabilidade financeira à Associação Comercial e Industrial, porque a mensalidade gerava pouca receita, era simplesmente para manter a entidade, mas, com esse convênio, nós tínhamos algum retorno para a associação. Com ele conseguimos ampliar o leque de associados, então, a prestação de serviços pela Unimed foi um fator determinante para a manutenção da entidade. Outra preocupação da minha gestão foi exatamente profissionalizar os nossos funcionários. Antônio Prado tinha mão de obra desqualificada, então, nos empenhamos ao máximo para implantar o Senai em Antônio Prado, dar sequência aos trabalhos iniciados na gestão do Presidente Ivanor Sérgio Ciconetto e concluir a implantação do Senai, como era nossa intenção. Outra questão no plano principal era direcionar as forças às grandes causas de Antônio Prado que foi a energia elétrica. Nós conseguimos uma série de empresas para financiar a vinda do reforço da energia elétrica para o município, trabalho também levado a cabo pelos Presidentes Valdomiro Bocchese da Cunha e Roberto José Dalle Molle. Aliás, a questão da energia elétrica sempre esteve na pauta da ACIS-AP, até a instalação definitiva da subestação para a cidade, que surgiu anos depois. Nós demos sequência às ações iniciadas em gestões anteriores, e isso foi determinante para alcançarmos os objetivos, não foi uma decisão aleatória, foi a continuidade de um projeto global. Penso que nós precisamos revitalizar a Mostra Del Paese, unindo todas as entidades do município, porque é um evento de Antônio Prado, e não, da associação; revitalizar essa festa é muito importante para o município, em nível de indústria, turismo, cultura e lazer, para projetar nossa terra nos cenários estadual e nacional. A associação está cumprindo o papel a que se propôs desde a sua fundação. Eu fui um dos fundador da associação, lutei também bastante pela associação, porque acreditava e acredito no resultado que ela pode dar à comunidade pradense. O grande trunfo da associação é exatamente a união das pessoas em prol do município, cada um pensando em nós, não pensando no eu: nós fizemos, nós realizamos, nós edificamos. Este é o grande segredo de uma associação: é o nós.
Luiz Ernesto Marcon
Presidente Gestão 95-96
Vice-Presidentes:


Raul Shiochet (Indústria)
Vitor B. Grazziotin (Comércio)
Laureano A. Fortuna (Serviços)
Uma entidade de classe, ao assumir a missão de atuar como sinalizadora, influenciadora e facilitadora de inovações que deverão ser realizadas pelos segmentos associados, deve prefigurar um futuro que compreenda flexibilidade, de modo que possa resolver problemas de ordens diversas que a complexidade da realidade propõe. Na minha gestão como Presidente do Conselho Executivo, uma das primeiras ações que se mostraram necessárias, para o momento, foi à extensão de seus serviços. Foi intenção do Conselho Consultivo da ACIS-AP ampliar o número de associados, integrando, ao seu quadro, de acordo com os novos estatutos, pessoas físicas prestadoras de serviços, porque se entende que ninguém pode fugir da realidade de que o crescimento do quadro social é a base de todo o desenvolvimento da ACIS-AP e, por extensão, de seus associados. O desenvolvimento integrado de uma entidade de classe faz parte da luta pela conquista da qualidade de vida, responsabilidade partilhada pelo Poder Público, pela iniciativa privada e comunidade. Há que se construir uma postura mais dinâmica e produtiva, capaz de promover um crescimento equilibrado. Tais condições, contudo, não nascem de um passe de mágica, nem de resoluções individualistas ou traçadas em gabinetes governamentais. A moderna ordem econômica não tolera mais paternalismos de qualquer espécie. Os riscos e os tropeços não devem ser encarados como ameaça; pelo contrário, são desafios que, se forem superados, conduzirão o País a uma economia de mercado realmente livre e consolidada. O espírito empreendedor constitui a sustentação do livre mercado. O Sebrae/RS vem contribuindo para que os empresários municipais, regionais e estaduais encontrem, autonomamente, espaço e condições para crescer. O sucesso, evidentemente, dependerá da competência de cada um. Integrar-se à ACIS-AP é uma inegável oportunidade de trocar ideias e experiências, bem como de incorporar novas experiências de modo a passar do crescimento para o desenvolvimento. Após ter assumido como Presidente do Conselho Executivo da ACIS-AP de Antônio Prado, no período de 1991/1994, acreditamos ter chegado ao término da gestão cônscios de haver dedicado e trabalhado em favor da associação. Reuniões semanais garantiram a coesão e a participação de todos nas decisões da entidade que tem como objetivo bem-atender às necessidades de todo seu quadro social. Durante esse período, à frente da ACIS-AP, nos empenhamos fortemente para atender às reivindicações do povo com o Poder Público municipal e estadual, pleiteando ampliação e melhorias na CEEE, na CRT e no DNER. Nos dedicamos com persistência na busca de serviços prestados pelas entidades ligadas à indústria, ao comércio e à prestação de serviços como: Sesi, Senai, Sebrae, Senac, obtendo como resposta gabinete odontológico, acompanhamento técnico de empresas, liberação da implantação de uma escola técnica do Senai, os mais variados cursos visando a treinamentos e ao aprimoramento profissional tanto na indústria como no comércio e na prestação de serviços, tendo sempre em mente que tudo se aperfeiçoa se passar pela valorização e melhor preparo dos recursos humanos. O Conselho Executivo procurou sempre estar em sintonia com a comunidade para mais facilmente atender aos seus anseios, tentando buscar o esclarecimento necessário acerca dos desafios gerados pelo processo de modernização. Isso oportunizou aos associados ouvirem as mais abalizadas opiniões sobre: conjuntura econômica, qualidade total, problemática de um processo de desenvolvimento, necessidade de treinamento dos funcionários como melhor investimento das empresas. Essas ações, certamente, contribuíram para que as empresas locais se deparassem com resultados positivos, mesmo em momentos de crise. Ao concluir os trabalhos na entidade, encaminhamos a Escola Técnica do Senai, bem como as obras do alimentador da CEEE, para futuras instalações de uma subestação para Antônio Prado. Continuamos a luta pela abertura e o asfaltamento da RS-122 entre Antônio Prado e Ipê até o entroncamento com a BR-116, próximo de Vacaria, conforme encaminhamento de inúmeras solicitações à Secretaria dos Transportes por intermédio da Coordenadoria da Regional 2 Fiergs-Ciergs. Não deixamos, em nenhuma oportunidade, sequer de formalizar essas e outras reivindicações que vinham ao encontro do crescimento de Antônio Prado. O que foi realizado aconteceu graças ao empenho e dinamismo de todo o Conselho Consultivo, do apoio dos associados, das empresas e do trabalho eficiente dos funcionários da ACIS-AP. Quero, carinhosamente, agradecer e retribuir com votos de muitas conquistas, grandes sucessos às sucessivas diretorias que estiverem à frente da ACIS-AP para o bem da comunidade de Antônio Prado. Antônio Prado é um município extremamente bom, bom para se morar e viver, por isso eu acredito que nós podemos mais, e esse algo mais é ter uma visão um pouco mais empreendedora. Isso é o que eu gostaria de registrar como mensagem. Sem dúvida nenhuma, acredito que a entidade sempre deixou um posicionamento bem claro à comunidade, aos seus associados e, dentro dessa missão, desses princípios, penso que a entidade caminhará, cada vez mais, se fortalecendo, buscando novos empreendedores e incentivando, sem dúvida nenhuma, os associados que já estão no caminho.
Ivanor Sérgio Ciconetto
Presidente Gestão 91-94
Vice-Presidentes:


Flávio Citton (Indústria)
Ivanor Sérgio Ciconetto (Comércio)
Valner José Borges (Serviços)
O trabalho da associação é muito importante para o desenvolvimento industrial do município. Por meio dela, se discutem questões em nível regional que orientam o trabalho de cada entidade, individualmente. Essa integração da Região Nordeste é fundamental, no sentido de moldarmos e direcionarmos o crescimento industrial do município, assessorando as pessoas que iniciam na atividade e as que já fazem parte dela, para evitarmos os problemas que, por exemplo, Caxias do Sul gerou com o desenvolvimento industrial. Via associação, também temos a possibilidade de acessar informações com mais facilidade, através de cursos, palestras e atualização sobre o que está acontecendo no setor empresarial no Brasil e no mundo. É interessante, pois podemos treinar não somente os níveis gerenciais, mas também o funcionário, que é a pessoa realmente ligada à produção, à venda. Quando assumimos a ACIS-AP em 1990, os principais desafios com os quais nos deparamos foram: a) formar uma diretoria para garantir a participação de todos os setores da economia pradense na ACIS-AP; b) ter um local para as reuniões e o funcionamento da ACIS-AP; e tornar a ACIS-AP uma entidade de credibilidade no meio empresarial e na comunidade. Para tanto, traçamos alguns objetivos que deveríamos alcançar ao longo da nossa gestão, como: conquistar resultados positivos por meio do aumento do número de associados e, com isso, proporcionar o crescimento da receita da ACIS-AP; trabalhar para o reconhecimento e a credibilidade da ACIS-AP por meio do incentivo ao empreendedorismo e às pequenas indústrias; o terceiro objetivo a ser alcançado era a de estruturar o funcionamento da entidade em um lugar apropriado para a realização de reuniões mensais da Diretoria, bem como contratar uma secretária para o atendimento dos associados e a realização de trabalhos internos com a Diretoria. O quarto objetivo era a ampliação da participação da ACIS-AP regionalmente via participação ativa em reuniões regionais das entidades de outros municípios. As principais ações desenvolvidas na ACIS-AP resultaram no aumento do número de associados (de 60 para 120 sócios) no fim dos dois anos de gestão. A realização da Mostra Del Paese, para incentivar empreendedores e pequenos empresários e conhecer o que se produzia em Antônio Prado, da qual fui o primeiro presidente. Realizamos um consórcio de empresários para a construção de um alimentador de energia de Nova Prata até Antônio Prado, pois não tínhamos energia para crescer. A ACIS-AP deve manter o foco para criar infraestrutura de desenvolvimento nos quatro setores da economia (indústria, comércio, serviços e agropecuária). A mensagem que eu gostaria de deixar para a Associação Industrial, Comercial e Serviços de Antônio Prado, juntamente com todas as entidades aqui da nossa cidade, é para que participem ativamente do desenvolvimento e da criação de infraestrutura de que o nosso município necessita. Eu diria que a associação foi de fundamental importância para que isso viesse a ocorrer nesse período, e que todos os que participaram (diretorias, presidentes, Conselhos Deliberativos) sempre tiveram a preocupação focada no desenvolvimento do município. Hoje nós vemos a associação nesse aspecto, porque foi uma construção de mais de duas décadas que foi feita com a participação de todos, cujos resultados podem ser avaliados no desenvolvimento que foi proporcionado ao Município de Antônio Prado.
Roberto José Dalle Molle
Presidente Gestão 90-91
Vice-Presidentes:


Itacir Beltrame (Indústria)
Ivalino Andreoli (Comércio)
Laureano A. Fortuna (Serviços)
Antes de 1987 já ocorriam, informalmente, reuniões entre os dirigentes das principais empresas industriais da cidade, para resolver assuntos comuns como a irregularidade no fornecimento de energia elétrica, aceleração das obras da Estrada RS-122 entre Antônio Prado e Flores da Cunha, questões relativas ao Poder Público municipal (infraestrutura), políticas relativas à contratação de pessoal, posicionamento político referente a eleições, etc. Essas reuniões estavam dissociadas da única entidade então existente (Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL)), que, por naturalidade, atendia aos interesses do comércio. Por outro lado, eu e, eventualmente outros industriais de Antônio Prado, participávamos ativamente, na época, da Câmara de Indústria e Comércio de Caxias do Sul (CIC), quando era Secretário o Sr. Alcides Brugalli, e para onde eram encaminhadas demandas regionais, nem sempre condizentes com os interesses municipais. Assim resolvemos, o Roberto Dalle Molle, o Claudiomar Verza e o Luiz Ernesto Marcon (Universum), o Raul Schiochet (Moduarte), e o Luiz Zamboni (Madeprado) e eu, a partir do exemplo da CIC de Caxias do Sul e de outras comunidades do mesmo porte, onde já havia uma entidade similar, dar início à formação da Associação Industrial e Comercial de Antônio Prado. Pedimos, para tanto, a ajuda do Sr. Brugalli, da CIC de Caxias do Sul, reunindo indústria e comércio para, juntos, termos mais representatividade e força. O Sr. Brugalli contribuiu com um esboço de estatuto, e, na primeira reunião realizada no Clube União (ainda antes da formalização), veio dar uma palestra para esclarecer dúvidas, incentivar a formação e se colocar à disposição para ajudar na organização. Para essa reunião foram convidados representantes de todas as indústrias e estabelecimentos comerciais da comunidade, os quais foram, depois, a base do quadro de sócios da mesma. A primeira sede da associação foi instalada na antiga casa do meu avô Valdomiro Bocchese, localizada na Av. Valdomiro Bocchese, 553, e, nesse local, se passou a realizar reuniões mensais com palestrantes em jantas ou almoços no Clube União. Recordo-me de uma das mais marcantes reuniões com o Sr. Busnello, proprietário da empresa Toniollo & Busnello, que construiu a Estrada RS-122 para Flores da Cunha, numa das tantas iniciativas para acelerar a obra que então se arrastava de governo a governo. Da mesma forma, políticos regionais foram convidados a participar de audiências com o governo do Estado visando a resolver os problemas mais urgentes relativos à infraestrutura (estrada e energia elétrica). A associação logo pôde contar com um bom número de associados, devido ao encaminhamento das demandas mais urgentes relativas à infraestrutura e à possibilidade de reuniões regulares com palestrantes sobre temas de interesse geral. Eu acredito que o mérito da minha gestão foi ter criado a associação, de ter dado início ao trabalho. Os objetivos da entidade foram ampliados. Hoje, a associação tem vida própria, e isso nos dá muita satisfação. É como se tivéssemos ensinado uma pessoa a caminhar e, hoje, ela estivesse caminhando com suas próprias pernas. Eu penso que em cada gestão, de certa forma, a associação é fundada novamente e tem que ser assim, porque os tempos mudam, as demandas mudam, as empresas mudam, as pessoas mudam, então a cada gestão tem que ser renovada. Cada gestor que assume a associação, de certa maneira, é um refundador da mesma, ele tem que atualizar todos os objetivos, as metas, fazer um novo plano estratégico para que a associação caminhe, ela não pode ser repetitiva, ela tem que se renovar a cada gestão, a cada ano. A minha satisfação é de ver que a associação vem evoluindo, que não parou no tempo, que está se Renovando constantemente. Desejo, cada vez mais, sucesso nos trabalhos, e que os gestores sempre tenham esse espírito de doação, de dedicação, de conversa com os outros, com outras entidades, sejam elas públicas ou privadas, para fazer com que, num último instante, a comunidade avance e atinja seus objetivos, se desenvolva e se enriqueça em todos os sentidos, seja cultural, econômica ou socialmente, para o bem do município.
Valdomiro Bochese da Cunha
Presidente Gestão 87-90
Agenda CIC
Cursos e Treinamentos
Espaço do Associado
Palavra do Presidente
índices Ecônomicos
Cadastre seu Currículo
Vagas Disponíveis
Acervo
Opinião
REVISTA
Edições Anteriores
ENQUETE
De que forma você prefere ser informado sobre os acontecimentos (agenda, cursos, reuniões jantares, entre outros) da CIC Antônio Prado ?
ATENDIMENTO
(54) 3293.1609
cicaprado@cicaprado.com.br
ONDE ESTAMOS
Av. Valdomiro Bocchese, 955 - Conj 302 | CEP:95250-000 | Antônio Prado | RS
CIC Antônio Prado - ©2015 - Todos os direitos reservados
Webde, Web for Business